anterior
proxima
central
webmasters

   

O PH da agua

    O PH e simplesmente uma escala de valores que serve para medir a acidez ou a alcalinidade relativa da agua. Os valores da escala de PH (0 a 14) são logarítmicos e, por isso, um aumento ou uma redução de uma unidade de PH corresponde de facto a um aumento ou a uma diminuição elevada a 10. O PH 0 corresponde a acidez máxima e o PH 14 corresponde à alcalinidade máxima.

    Felizmente a margem de tolerância que nos interessa e relativamente pequena - entre 6,6 e 7,5 de PH no caso dos aquários. No seu habitat natural os peixes suportam por vezes condições mais extremas - entre 5,5 de PH (muito acido, no caso dos cursos de agua existentes na selva onde existe muita vegetação em decomposição) e 9 de PH (nos lagos com elevado conteúdo de s6dio no Vale do Rift, em /África).

    O PH da agua pode ser facilmente medido através de kits adequados que se encontram a venda nas lojas da especialidade; os modelos existentes vão desde tiras de papel sensibilizado ate aos dispositivos electr6nicos mais sofisticados e, como não poderia deixar de ser, a precisão e proporcional ao custo! Os dispositivos da gama média - líquidos que indicam o PH através da cor - são os mais adequados, e os mais seguros, para aquariofilistas amadores.

    A manipulação do PH da agua, caso isso seja necessário, e um processo complicado pois implica conhecimentos sobre química de aguas a um nível que se torna impossível explicar aqui; alem disso, obriga a um controle rigoroso de todos os objectos que são colocados na agua do aquário porque, se assim não for, corre-se o risco de alterar as condições que deram tanto trabalho a criar. Esta área técnica do aquário assume maior importância quando se pretende criar em cativeiro aquelas espécies consideradas como as mais «difíceis», ou seja, as que são mais exigentes em termos de condições do que as outras espécies.

    Existe uma relação de âmbito geral entre o PH da agua e a sua dureza. As aguas acidas (com PH inferior a 7) não são em regra duras, e as aguas alcalinas (com PH superior a 7) são duras devido a quantidade de minerais dissolvidos.

    A estabilidade do PH no aquário não e constante e pode variar da noite para o dia devido ao efeito exercido pela fotossintese das plantas. A agua pode tornar-se mais acida após períodos prolongados de escuridão por isso o melhor e verificar o PH da agua sempre a mesma hora do dia e com a agua a mesma temperatura. As diferenças em termos de PH devidas a actividade normal do dia-a-dia no aquário não costumam afectar, por exemplo, mais de 0,1 numa leitura, mas as alterações drásticas do PH devem ser investigadas - ou, vendo as coisas de outra maneira, as alterações drásticas no comportamento ou na saúde dos peixes podem ser causadas por alterações do PH da agua. A correcção do PH deve ser feita gradualmente para não provocar stress nos peixes.

   

A dureza da agua

    Devido aos detergentes domésticos as pessoas hoje em dia estão mais familiarizadas com uma outra característica da água: a dureza. Consoante os sais dissolvidos (geralmente de cálcio e de magnésio) a dureza da agua pode ser de dois tipos: temporária e permanente. A dureza temporária pode ser eliminada por fervura da agua, operação que obriga o bicarbonato de cálcio dissolvido a depositar-se sob a forma de carbonato de cálcio, substancia esta que também e conhecida por «pedra das chaleiras». A dureza permanente Os pode ser eliminada por processos químicos, por troca de iões ou por destilação. A dureza de uma forma geral pode ser reduzida pela diluição, na proporção correcta, de água menos dura ate se obter o valor desejado. Os cálculos para a diluição são simples: a mistura de 5 litros de agua dura (com 12 graus de dureza) com 5 litros de agua não dura, por exemplo, 5gua da chuva não poluída (0 graus de dureza) da como resultado 10 litros de agua com 6 graus de dureza.

    A dureza de uma agua não dura pode ser aumentada pela colocação de pedaços de giz ou de calcário na agua do aquário, mas (como já vimos) a composição da areia do aquário também pode fazer aumentar o grau de dureza da água (consulte a secção intitulada «A areia e as pedras).

    Existem no mercado kits de medição da dureza da agua; tal como sucede com a determinação do PH, a simples mudança de cor numa amostra de agua do aquário permite obter com precisão o grau de dureza da mesma.

    Pode haver alguma confusão porque existem vários métodos de medir a dureza da agua e os valores apresentados nos livros de aquariofilia podem ter sido achados através de qualquer um desses métodos. Os aquariofilistas alemi3es medem a dureza geral (ou total) em °GH e a dureza carb6nica em °DH. (A dureza não carbónica e calculada pela subtracção entre °DH e °GH.) Os criadores de peixes ingleses medem a dureza em partes por milhão de carbonato de cálcio na agua e exprimem essa dureza em °Clarke. Para aumentar a confusão, a unidade alemã °DH e calculada com base na quantidade de óxido de cálcio (em miligramas) por litro de agua.

    Em certos casos e possível reduzir a dureza colocando musgo de turfa no filtro do aquário. Não se deve utilizar turfa do jardim ~ qual tenham sido aplicados produtos químicos; o mais indicado para um aquário é esfagno natural. A utilização de turfa provoca geralmente a acidificação da agua (reduz o PH) e estas medidas são frequentemente aplicadas pelos aquariofilistas especializados na criação de Ciprinodontideos.

   

Utilização de agua da rede domestica

    Embora a agua fornecida às nossas casas se destine principalmente ao consumo humano, ela serve em geral para os aquários, desde que sejam tomadas algumas precauções. A agua que esteve parada durante algum tempo em canos de cobre (sobretudo nas canalizações novas) pode ser t6xica para os peixes e, por isso, deve-se deixa-la correr durante alguns minutos antes de a utilizar. Agua com elevado teor de cloro deve ser muito bem arejada para dispersar este elemento antes de se introduzirem os peixes no aquário. Alguns aquariofilistas adicionam produtos para eliminar o cloro; se for este o seu caso deve cumprir rigorosamente as instruções do fabricante desses produtos.

    Podemos compreender melhor o problema aparente dos requisitos dos peixes em termos de condições da agua se soubermos que muitos deles não são provenientes dos locais que pensamos! Uma boa quantidade deles são criados em viveiro, em quantidades «industriais», a milhares de quil6metros dos seus habitates naturais. Além disto, os peixes comercializados pelas lojas da especialidade foram habituados, antes de serem vendidos, a viver em condições semelhantes as proporcionadas por um aquário domestico. Os comerciantes honestos estão habilitados a responder a todas as questões sobre as condições da agua necessárias para os peixes que vendem, se essas condições forem diferentes das da agua da rede local de abastecimento domestico.

   

Encher o aquário

    O aquário só estará pronto para ser cheio de agua depois de Ia termos colocado a areia, as pedras e todos os outros objectos de decoração, bem como os equipamentos de aquecimento e de filtragem Desligados.

    Para impedir que a água perturbe os contornos dados à areia do fundo e retire do sítio as pedras e as rochas, deve ter-se muito cuidado ao colocar a água no aquário. A colocação de um frasco ou de um pires sobre a areia permite reduzir o ímpeto da força com que a água sai da mangueira; a água que extravasa do frasco ou do pires já não tem pressão suficiente para perturbar a decoração do tanque.

    Deite água fria até metade do aquário e depois acrescente água morna até três quartos de altura para depois poder colocar as plantas. Para não causar um grande choque de temperatura às plantas (nem às suas mãos) a água não deve estar demasiado fria.

    Depois de colocar as plantas, encha o tanque com mais água tépida até a um nível em que a linha de água não fique visível. A existência de uma película de sujidade à superfície da água poderá ser limpa passando lentamente uma folha de papel branca pela superfície da água.